Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fronteiras e Horizontes

Fiz esse blog para ir longe, até onde os olhos e o entendimento alcançam, porque as palavras ampliam os horizontes, e atravessam fronteiras quando fazem sentido. Você pode gostar ou não, mas o ideal seria comentar. Beijos!

Fronteiras e Horizontes

Fiz esse blog para ir longe, até onde os olhos e o entendimento alcançam, porque as palavras ampliam os horizontes, e atravessam fronteiras quando fazem sentido. Você pode gostar ou não, mas o ideal seria comentar. Beijos!

27
Ago18

UM MINUTO DE SILÊNCIO

Guerreira Xue

Pelos beijos que não dei


pelos sonhos que não realizei


pelos amanheceres que não vi


e pelas estrelas que não mirei


 


Um minuto de silêncio


pelas palavras que não disse


e pelas que disse sem viver


pelos amores que perdi


e por acreditar em voce


 


Um minuto de silêncio


pelas lágrimas que derramei


pelos gritos que sufoquei


pelos passos que não dei


e pelos filhos que criei


 


Um minuto de silêncio


pelas portas que fechei


pelas janelas que abri


pelo dia que nasci


e pela grama que pisei


 


Um minuto de silêncio


pelos erros que cometi


pelos acertos que vivi


porque depois de tudo isso


Eu ainda não morri.


UM MINUTO.png


 


 


 


 


 

23
Ago18

A JORNADA DA ALMA

Guerreira Xue

Na caminhada da vida
trago em mim essa alma sedenta
de tudo que existe


 


Na busca incessante de paz
sou eu, uma cega que ainda persiste


 


Vagando pela estranha terra
sigo por caminhos tortos
incertos
Encontrando nesse vasto mundo
a desolação e a guerra


 


São crianças de esperança triste
e homens de sonhos mortos
que destruidos pelas ganâncias
quedam-se em altares hirtos


 


O velho sábio, certa vez, me disse
toda a escolha tem seus caminhos
todo caminho tem suas pedras


 


E mesmo que semeies o trigo
o figo ou as rosas
Ainda hás de enfrentar o joio
a praga
e arcar com os espinhos


 


Na caminhada, eu nasci
sozinha e nua
e quando menos espero
tropeço o corpo na dor
choro com amor
sorrio com a flor


 


E por fim
tombo ao chão cru
levando para o vento
tudo que fui, e sou


 


A minha alma sedenta
sozinha e nua.


jornada da alma.jpg


 


 


 


 


 


 

21
Ago18

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Guerreira Xue
 

Ao encontrar algumas respostas 
nos outros

Compreenda que essas 
ainda não serão as tuas
Porque cada um pergunta 
com alguma referencia 

E a referencia 
é base da própria vivência.


Não existe o jeito certo 
ou o jeito errado de viver
Só existe viver

E se tens uma alma ou consciência 
que seja 
Saberás instintivamente 
que todos falhamos

O preceito pode 
até ser perfeito
Nós é que não somos

Mas não custa aprender

E mesmo que 
não compreendamos tudo
Mesmo sem descobrir 
as nossas próprias respostas
Seguimos adiante

Porque o coração pulsa 
O corpo lateja
E a mente 
Essa continua teimosamente
A Perguntar; por que?


PALAVRAS.png


 

15
Ago18

"L'ORCO E LA TESSITRICE" Formato Kindle

Guerreira Xue

Ciau


A partire da 15/08, il mio libro "L'ORCO E LA TESSITRICE" è gratuito su applicazione di lettura Kindle. Approfitta dell'opportunità perché è un tempo limitato.
https://www.amazon.it/dp/B07B6V1Y4K


72c872bed36a83d9a8a8b31d9c5b7d81.jpgSUL LIBRO

... Per come la penso io, queste storie e racconti sono dei viaggi nelle nostre immaginazioni, viaggi che si incrociano tra le curve, tra il giusto e lo sbagliato, ma che alla fine tutto è sempre una lezione di vita, e ognuno di noi interpreta di un modo diverso.
L’opera tratta di argomenti dell’attualità, scritta in un linguaggio più informale per il pubblico giovanile. Partendo dai “vecchi concetti”, i racconti sono scritti di modo a stimolare l’immaginazione, nella figura di un bambino di 10 anni che non si stanca di domandare.
Il proposito della narrativa è anche recuperare il rapporto tra genitori e figli in una famiglia, con la figura di un bambino che scopre un modo di avere la mamma sempre vicino nelle ore prima di dormire. Le narrative sono distribuite di modo diverso nel libro, ma sempre con l’argomento principale che é la vita, in contesti e ambienti diversi.
Ti auguro una buona lettura.

10
Ago18

O JOGO DA SOCIEDADE

Guerreira Xue

o xadrez.png

 

 

 

O xadrez é o jogo que mais representa
a nossa sociedade.
Com as suas peças dispostas
em casas brancas e pretas.

 

São as peças brancas que começam,
o que confere-lhe a vantagem.
Na regra, a missão é proteger um rei e
derrubar o outro,
e ambos são fracos e
sustentados pelos que o cercam.

 


Qualquer distração é uma distração,
e sacrifícios são necessários.

 

Os primeiros a cair são os peões.

Porém, se um desses conseguir
chegar do outro lado do tabuleiro,

o mesmo será promovido.

Saber as regras do jogo e da vida é importante.
E para compreender melhor,
é preciso pensar se, e onde estamos
encaixados nesse tabuleiro tão classificado.


De toda a maneira,
qualquer opção de vida,
seja ela religiosa ou política, intelectual, ou marginal.
Não escapamos
do sistema, que afinal nos deixa todos, sem exceção

refletidos no jogo do Xadrez.

04
Ago18

EFEMERIDADES: EM VERSOS, CONTOS E CRÔNICAS

Guerreira Xue

Veja só como são as coisas...

Hoje fui convidada ao Centro Histórico e Cultural Mackenzie. Era lançamento de algumas antologias, do qual uma delas eu faço parte, e no mesmo evento havia o livro de um amigo, o Marcelo Kassab.

Marcelo Kassab se mostra realmente um talentoso com as palavras, para a minha surpresa, pois o sujeito é meu dentista, isso mesmo dentista! Risos... Quem disse que dentista não tem uma alma, mentiu vergonhosamente.

Muito encabulado para ler em público, pedi-lhe eu para ler seu poema EFEMERIDADE, bem assim de surpresa mesmo. E para que não pensem que exagero nos elogios, eu deixo abaixo o mesmo.
EFEMERIDADE

Minha mente vagueia por caminhos obscuros, às vezes escusos, distantes.

Com breves sorriso, não obstante.

A dor que assola e o ardor na sola, proibitivos, exigem simples repouso.

Um sono terno, talvez eterno.

Rotas traçadas e taxadas pelo sofrimento do abandono.

Passos a esmo na estrada esburacada e finita

Onde ainda se esconde o longínquo e inofensivo horizonte.

Quando a caminhada humana chega ao fim, apenas um destino em comum: A morte!

Às vezes, vaidosa pelo capricho de mostrar-se mais forte!

E outras, piedosa, vinda em socorro ao corpo já cansado, rejeitado e moribundo.

Lenta, rápida, sofrida, sonolenta, gentil, inflexível!

O cortejo conduz sua desgraça, multiplica a trapaça.

Zombando do ritual dos mortais.

Ah, os mortais e seus rituais! Corpo sem alma, separação anunciada.

Expelindo a amargura que durante a vida fora inalada.

O alívio desanuvia o espírito, mareia os olhos,

e sobre o ponto final, adita o de interrogação ao sentido de tudo e do nada

No crepúsculo, o mar de incertezas e o mergulho cego, arriscado, o medo do encontro solitário conosco; inevitável.

Existência ínfimaímpia, cujas escolhas desembocam na clemência de um último pedido, abafando o grito descolsolado em forma de suspiro.

Noturna, tortura, taciturna, mais uma lenta volta em torno de nós mesmos.

A dança sob as nuvens que chorame sob o obtempero silencioso das nebulosas,

futoras supernovas, tentando matar os nilistas e dar algum sentido a vida!

Quantos dias até o último dia? O que pensar, enquanto ainda respiras?

O caminho se inverte e o autrora varonil, em regressão irreversível, assiste a transformação pueril
até sumir engolido e tragado pelo horizonte,

já nem tão distante e inofensivo assim.

https://www.facebook.com/marcelo.kassab

efemeri.jpg

 https://www.facebook.com/marcelo.kassab

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

E-book

E-book

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

E-book

E-book

Sigam-me